top of page
  • Rudy Rafael

A humanidade que acha a maior graça de um rato dançando vestido de papa

A quantidade de bosta que há dentro de quase a totalidade dos seres humanos não é motivo de surpresa. Os seres humanos não têm mais o que agregar em nada que diga respeito à evolução espiritual. Considerando que a única coisa verdadeiramente interessante no mundo é a Espiritualidade, não há nada interessante no mundo, pois não há material sobre Espiritualidade devidamente propagado para uma civilização que possui o conhecimento livremente acessível através da internet. É apenas bosta atrás de bosta, burrice atrás de burrice e idiotia atrás de idiotia. Ninguém tem absolutamente nada de conteúdo a somar a ninguém; toda a existência humana se resume à uma vida de idiotia e de merda atrás de merda. Ninguém tem nada a somar e a internet, que deveria ser fonte de conhecimento, é fonte de merda; e as pessoas são fascinadas por merda.

Gente burra, louca, problemática, transtornada e traumatizada em tudo que é canto, gente sem nada a somar, pessoas que acham que sabem alguma coisa sobre a Espiritualidade e são apenas asnos que repetem o que leram e ouviram, ninguém com algo novo a dizer sobre coisa alguma e ciclos de repetição de mesmas informações que não param. O mundo não tem lugar para as pessoas inteligentes e com nível considerável de evolução espiritual. O mundo jaz na idiotia e somente os idiotas se sentem felizes neste mundo com esta civilização de idiotas que não têm coisa alguma a oferecer a não ser merda. Só um idiota para achar graça em algo idiota e idiotas é o que não faltam, pois tudo o que “viraliza” na internet é idiotia. O sistema para conhecimento da humanidade está acessível gratuitamente a todos e o que “viraliza” é merda, apenas merda. Se não for merda, ninguém se interessa.

A Espiritualidade é caridosa e por algum tempo prestou auxílio à humanidade trazendo ao encarne espíritos sábios que podiam ajudar na evolução da humanidade através do disseminar do conhecimento, porque, se a humanidade é esse reino de idiotas com o conhecimento que recebeu, sem tal conhecimento seria muito pior. Os idiotas humanos sentaram na boa vontade da Espiritualidade e acharam que eternamente receberiam as benesses do encarnar de espíritos elevados, mas essa benesse acabou. A humanidade já recebeu o conhecimento necessário para sua evolução e o conhecimento será retirado da humanidade. A humanidade acha que todo o conhecimento possível entre os encarnados está sendo compartilhado, grande erro. Há muito conhecimento que alguns espíritos têm, jamais compartilharam e desencarnarão sem ter compartilhado.

No ano de 2020 “viralizou” na internet o “meme” da animação de um rato dançando vestido com as vestes de um papa da Igreja Católica e a humanidade achou a “maior graça”. A humanidade acha a maior graça um rato vestido de papa dançando. Bem, certamente é só isso o que o QI da humanidade permite fazer. Qualquer pessoa com o mínimo de inteligência e desenvolvimento espiritual reflitiria sobre o propósito de vestir um rato com as vestes sacerdotais do regente da Igreja de Jesus, o Cristo da Terra. No mundo, cada vez mais incapaz de criar a arte que eleva o homem até Deus, o que sobrou foi “achar o máximo” a animação de um rato vestido de papa. A incapacidade de compreender o belo, a arte e a beleza na busca de Deus e na criação do Reino dos Céus desencadeou com a ajuda da idiotia uma civilização infrutífera e entregue ao próprio destino que lhe espera sua própria involução espirirtual.

Certamente não haveria que se esperar que qualquer ser humano na Terra refletisse sobre o sentido de menosprezar a figura do papa colocando suas vestes em um rato. O ser humano não possui QI e desenvolvimento espiritual para isso, mas isso não impede que se observe o estado de involução espiritual da humanidade consubstanciado nos símbolos que dizem respeito à bestialidade que cada vez mais desperta no ser humano, não a bestialidade de animalidade, mas a bestialidade relacionada à conexão sombria entre os seres humanos e os animais. A ligação entre os seres humanos e os animais está caminhando em uma linha que alcançará a linha limite como ocorreu em Atlântida. A inversão de valores que faz com que pessoas “prefiram animais à gente” não é um fim, é um meio em si mesma, e levará às pessoas até o ponto onde a própria Espiritualidade tenha que, novamente, agir.

O motivo que levou ao incidente de Atlântida e pelo qual o continente teve que ser varrido da face da Terra foi a aniquilação total de todos os valores morais e éticos do ser humano que diziam respeito ao desenvolvimento da engenharia genética, inclusive com o surgimento de seres gerados através da combinação de genes entre seres humanos e animais. Quando a geração de seres humanos passou a não ter qualquer cuidado moral e ético e quando se passou a gerar seres advindos da combinação entre homens e animais a civilização atlante teve que ser extinta, pois chegou-se ao ponto intolerável pela Espiritualidade. O ser humano não existe na Terra para se misturar com animais. O planeta Terra, no plano da Confederação Intergaláctica, foi dado aos seres humanos e aqueles que não seguirem esta norma não poderão mais encarnar aqui. Esta é a regra do jogo.

Uma sociedade onde pessoas dormem com cachorros que esfregam seus pênis, vaginas e ânus e eliminam secreções no colchão onde repousa o corpo físico de uma pessoa e de onde partirá o corpo astral no momento de repouso, e onde pessoas chamam gatos de “filhos”, abdicando-se inclusive do dever natural de ter filhos, naturalmente não veria nada errado em um rato vestido de papa. A bestialidade está cada vez mais presente entre os seres humanos e logo chegará o tempo onde a humanidade achará perfeitamente natural a relação sexual entre homens e animais. Se uma pessoa pode chamar um cachorro ou um gato de “filho” o caminho para chamá-los de “esposa” ou “marido” está feito. Animais são bestas e ao reino das bestas pertencem. A humanização da besta é a bestialização do ser humano. Este mundo não é para as bestas e para os bestializados.

A linha sucessória papal estabelece a ligação entre o último papa e o próprio Jesus Cristo, compreendendo-se desta forma que o próprio Cristo foi o primeiro papa. Entretanto, as mesmas pessoas que acham a maior graça do mundo ao ver um rato vestido de papa se dizem “cristãs”, “espiritualizadas” e “interessadas em coisas espirituais”. Simbolicamente, um rato vestido de papa passa ao inconsciente a mensagem da insignificância do papa e consequentemente do próprio Jesus Cristo. Se Jesus retornasse à Terra neste exato momento ele assumiria o Trono de Pedro, guardado pela Igreja Católica, que é o lugar destinado ao Rei Jesus, o Cristo da Terra, e usaria as vestes de papa, as vestes do rato da animação que todo mundo acha o máximo. Mas, não há que se surpreender que esta civilização que dorme com cachorros na cama e chama gatos de “filhos” ridicularize as vestes do papa.

Jesus, que é um rei por direito divino, retornará quando houver a estrutura social adequada ao seu reino e essa estrutura virá através da estrutura já fixada, e a ser evoluída, pela Igreja Católica nela mesma. Quando for o tempo correto, quando houver uma humanidade que compreenda que o sentido da vida é a Espiritualidade e que queira para ela viver, e estiver tudo preparado Jesus retornará a encarnar na Terra para servir de seu guia espiritual, social e político, assim como ocorre em todas as civilizações evoluídas fora da Terra. Ao momento, o que os idiotas humanos fazem é ridicularizar a figura do regente de Cristo e a própria imagem de Cristo ao rirem como animais do rato vestido de papa. A humanidade, incapaz de criar músicas, pinturas, obras arquitetônicas e qualquer coisa que eleve o homem à presença de Deus apenas consegue se encantar por um rato vestido de papa.

Cada vez mais a humanidade deixa mais claro o que ela quer e ela não quer Cristo, ela não quer o reino de Jesus como o Cristo da Terra, mas, não há o que fazer. Jesus é o Cristo da Terra, ele pagou o preço por isso e ele possui espiritualmente o direito de reinar neste planeta. O escárnio global através do menosprezo e do achincalhamento às vestes do papa representam a rejeição ao próprio Cristo. Não se trata de moralismo, se trata do sentimento mínimo de venerabilidade que todo espírito elevado possui de venerar e consequentemente respeitar as coisas sagradas. Para as pessoas que riem de um rato vestido de papa talvez a melhor opção seja reencarnar nas próximas vidas em planetas e civilizações dominadas por animais em mesmo nível de evolução de ratos, já que acham o máximo um rato vestido com a roupa da maior autoridade espiritual deste planeta.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page